Templar hero: Gualdim Pais

We think of the Crusades as a series of battles between Christianity and Islam that took place in the Middle East. But in fact, the Crusades were fought in many places including modern Spain and Portugal.

When the Knights Templar were founded in 1119, the Iberian peninsula was divided between an Islamic caliphate in the south and several Christian kingdoms in the north. Separating these two very different and warring realms was a buffer zone that swapped hands over and over.

Between the rivers Mondego and Tagus in Portugal lay lands referred to in the medieval period as ‘nullis diocesis’ – territory with no bishop or patriarch. Church and state had no firm hold over these lands. Instead, crusaders and Moors (the Muslim armies) fought each other bitterly gained and losing the advantage.

It fell to the Knights Templar to try and hold the line. The king of Portugal gave the Templars control over nullis diocesis hoping their combination of religious zeal and military courage would be enough to push back the Moorish invaders.

The knights built a string of castles to defend their position. One such was the fortress at Tomar, which you can still see today. It’s famous for an octagonal church that lies within it referred to as the ‘charola’ – allegedly modelled on the Holy Sepulchre in Jerusalem.

D._Gualdim_Pais,_Mestre_dos_Templários_-_História_de_Portugal,_popular_e_ilustradaThe Portuguese Templars at Tomar elected a grand master for their new nation and the most famous of these was a formidable character called Gualdim Pais. You can still see a statue of him in the town square. He holds a kite shield and resembles a Norman knight of that period.

He had served in the Holy Land and been present at the Siege of Ascalon in 1153 – when Fatimid Egypt had been soundly defeated. Back in his native country, he fought yet another crusade. The difference being that this war, by and large, was moving in favour of the Christian side. Bit by bit, the Islamic caliphate of Al-Andalus, that had ruled much of Spain and Portugal for four hundred years, was gradually being driven back.

However, in 1190, Gualdim faced a dire threat he might never have anticipated. A vast army from Morocco surged through southern Portugal and arrived at the mighty stone walls of Tomar. So bitter was the hand to hand combat that a door into the city is still called the Gate of Blood. The ground was crimson as both sides thrust and cut at each other.

Five years later, Gualdim died and was buried in the church of Santa Maria Olival, which you can visit today.

 

 

Tomar – jóia dos Templários em Portugal

Tendo sido duas vezes para Tomar, em tantos anos, posso dizer-lhe que este é o destino dos Templários para se visitar. Você deve tratar-se de uma estadia no Hotel dos Templarios e durante o dia visitar o “Charola” ou igreja templária circular construída no século XII por Templar Português Grand Master Gualdim Pais.

Com paredes espessas a Charola havia um altar no meio e cavaleiros templários seriam originalmente ter montado e foi capaz de se manter a cavalo, enquanto um serviço foi dito por um capelão em pé no meio. Então eles poderiam montar para fora para fazer a batalha com os mouros. Esta parte do meio Portugal era disputada pelos muçulmanos “mouros” – que ainda governava o sul – e os reinos do norte cruzado por muitos anos. Foi uma espécie de ermo, onde apenas os Templários eram bravos ou temerário o bastante para enfrentar as forças muçulmanas.

Em minhas conversas com um historiador local, há caginess notável sobre admitindo que este era uma vez uma cidade moura. A linha oficial parece ser que Tomar fica em duas cidades romanas, que era em grande parte despovoada na ocupação moura e depois de ter sido “libertado” pelos Templários, eles fundaram a cidade como a conhecemos. Mas parece-me claro que dentro da preceptoria dos Templários, tinha havido um acordo árabe (a Medina) e que os templários aproveitando técnicas para suas paredes que têm uma forte influência mourisca. Os nomes dos portões para a preceptoria indicam uma influência árabe também.

A Charola agora se junta a um complexo vasto convento construído em grande parte, no século XVI – 200 anos depois dos Templários tinha sido esmagado sob as ordens do Papa. O Convento de Cristo é um impressionante edifício construído no ‘estilo manuelino’ estilo – lotes de motivos corda na pedra e uma janela famosa elaborado. Mas é a Charola que eu estou sempre atraídos. É um espaço bonito, pintado muito elaborada – em parte, no momento, mas depois também.

Soldados franceses durante as guerras napoleônicas do século XIX fez algum dano ao convento e da Charola mas nada que possa arruinar a sua visita. A coisa toda é assustadoramente deserta de ambos os templários e os habitantes mais tarde monástica. Existem linhas de células vazias de acompanhamento longos corredores – muito assustador.

Tomar também tem uma igreja onde vários dos Grandes Mestres são enterrados – Santa Maria do Olival. É um pouco decepcionante como um prédio e situado ao lado que parece ser um conjunto habitacional. Mas note a janela pentagrama. Você terá que perguntar onde está sepultado Gualdim Pais, porque ele não é fácil de encontrar. Pais é visto pelo Português como algo de uma figura da lenda arturiana – embora, ao contrário de Arthur, sabemos Pais existia com certeza. Mas ele está envolta em um certo grau de mistério. Uma coisa é certa é que ele lutou contra os mouros para trás o tempo e, novamente, incluindo um vasto exército que ameaçava dominar Tomar em 1190.